ESCREVER POR PRAZER
Quinta-feira, 22 de Junho de 2017
As "Crises" milenares" ...

( ... do século XXI

Referidas ao acaso )

 

 

Crises.jpg

 

-  A aceitação da prática do homossexualismo, como comportamento humano e social normal.

-  A "teoria do género"  ( uma criança escolhe o género, masculino ou feminino, que lhe convém; imposta na educação das crianças.

-  O conceito de "Família" liberalizado.  A família monoparental.  A família pluriparenal; e plural.

-  O divórcio liberalizado.

-  A Pedofilia.

-  A depreciação da Política;  um partidarismo bem-falante,  mas terra-a-terra, interesseiro, pró-poder.

-  O conceito de Arte; e o divórcio com a harmonia dos sons, com o equilíbrio das linhas e das formas.  Marca do pós-modernismo.

-  O individualismo,  como auto-defesa face `instabilidade na economia, no trabalho.  O "outro", tido como um "estranho";  não me ocupo dele...   A auto-imagem ( os selfish ... )  Mas a fuga ao isolamento.

-  O anti-ocidentalismo do fanatismo islâmico.  A perseguição aberta, contínua,  exarcebada, ao Cristianismo, e contra o mundo ocidental.    O trrorismo  como arma anti-ocidental.

-  A emergência económica da China continental;  e da Índia.

-  O Globalismo;  o Universalismo.

-  As políticas corruptas e/ou extremistas    no Brasil, na Venezuela,  na Coreia do Norte, na Nigéria, República Centro-Africana Somália, Eritreia e outro Estados africanos...

-  O "fenómeno" Donald Trump.

-  O atrativo do "conservadorismo", das "direitas".

-  O desvirtuamento da União Europeia.

-  As ambiguiddes e o liberalismo aparente do Papado.

-  Os extremismos religiosos,  no Cristianismo : católicos carismáticos,  Fátima e a cegueira religiosa,  o carismatismo evangélico.   E o ecumenismo no seio do Cristianismo.

-  A vulgarização do Texto bíblico,  com a multiplicidade de traduções "correntes",  "populares" ...

-  As pregações superficiais,  a afirmação superficial dos líderes evangélicos bíblicos,  a ausência,  ou a raridade, do Homens grandes líderes, impulsionadores, maduros, formadores.  O "Louvor canção", ritmo, barulho, leviano, sem profundidade espiritual.

-  A vulgarização noticiosa,  ou tendenciosa,  ou sem critérios sérios de seleção.  Com um objetivo dos Média :  distrair,  prendert espetadores pelo espetáculo,  pela imagem,  pela facilidade.

.  Os relacionamentos informatizados,  individualizados, perigosos até,  dificilmente controláveis  :  Facebooquismo ( "like", "dislike" ); a Internet e o "sabe-tudo".

Israel,  e o seu papel no mundo.  Como é encarado pelo mundo islçâmico,  pelo mundo ocidental.

-  A "animalização" dos Seres animais;  o Ser humano inclusive.  Não como imagem de Deus,  mas como "animal racional"...

-  O mundo evoluindo por saltos,  descontinuados.  O Cesurismo.

-  A torrente migratória, fugindo de África e do Próximo Oriente,  para a Europa e para o mundo ocidental,  suscitando mais crises dramáticas.

Lutero re-considerado, 500 anos depois,  pela ICR !  O desvirtuamento dos fundamentos doutrinários, na pós-modernidade.  Não são as Ideias que são Valores.  Valores ão a forma como as Ideias nos servem...

-  Etc !.... 

 

 

 

Crises 1.jpg

 

«Deus pode fazer-vos abundar

em toda a Graça,

a fim de que tendo sempre em tudo

ampla suficiência,

superabundeis em toda a boa obra !»

 

2ª Carta de Paulo aos gregos de Coríntio, 9 : 8.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


tags:

publicado por João Pinheiro às 11:40
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 19 de Junho de 2017
Pedrógão, o drama !

 

Pedrógão .jpg

 

 

    Como foi possível ?! ...

 

 

    Que se vai fazer, 

                                 que tem sido feito,

para a prevenção de tais tragédias ?

 

 

 

 

 

A Aliança Evangélica Portuguesa

comunicou publicamente que enviou emissáros seus para os locais dos incêndios para apoios possíveis,

e para suporte também das igrejas daquelas zonas.

 

 

 

 

 

«Aquele que habita

no esconderijo do Altíssimo

à sombra do Onipotente

descansará !»


Salmo 91

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   



publicado por João Pinheiro às 12:34
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 18 de Junho de 2017
Israel, o Sionismo, e os Evangélicos

 

Muro das Lamentações.jpg

 

 

    Correm nas caixas de correio dos evangélicos ( da AEP ) textos apresentando o "Sionismo" de uma forma perversa e corruptora.

 

A   Apresentam os muçulmanos da Palestina  ( conhecidos atualmente por  "palestinianos" )  como identficados com uma pretensa "pátria palestina  milenar".

B   Apresentam  Israel  como um invasor maléfico que ocupou pela força os territórios da Palestina  discriminando os seus moradores.

C   Secundariza e lê os textos bíblicos, proféticos, que se referem a Israel,  como sendo metáforas.

D   Refere-se a Israel e ao seu governo como produtores de atos violentos ditatoriais e as reações palestinianas como sendo meramente defensivas, ainda que violentas.

 

    Não pretendo estar a ser completo.  Tento alinhavar as ideias dominantes dos que se opõem ao Sionismo, neste caso circulando entre os evangélicos.

  Os autores desses textos procuram inserir-se numa generalizada corrente anti-Israel, aparentemente com simpatia pelos muçulmanos, igual à que circula nos "Media" e predominante na ONU, na UNESCO, e noutros locais políticos.

 

 

 

    

O texto que segue , ao conrário dessa corrente oposto ao Sionismo e anti-Israel, 

procura sintetizar o que pensa a maioria dos Cristãos bíblicos hoje ,

favoravelmente ao Sionismo, a favor de Israel:,

ainda que reconhecendo que o Israel de hoje continua a sofrer

pela recusa do seu Messis, o Senhor jesus Cristo.

 

   

   O Sionismo.  E Israel na conjuntura de Hoje.

 

1º     Aqueles que hoje são chamados "palestinianos" são um povo com origens muçulmanas diversas,  sem um passado histórico estabelecido na Palestina.

 

2º    Os Judeus não ocuparam nem militarmente nem por luta violenta a chamada Palestina.

       Já desde a 1ª Guerra Mundial,  nos anos '20,  os Judeus, Israelitas,  procuraram a sua terra de origem,  comprando terrenos, pacificamente, aos que lá viviam :  tribos muçulmanas dispersas,  sem coesão pátria.  Aos palestinianos agradava-lhes os negócios com os Judeus, que lhes traziam recursos financeiros.  De outra forma essas terras nada valiam ...   

       Isso passou-se durante décadas.

 

3º    Foi a Sociedade das Nações,  hoje a ONU,  que de acordo e sob proposta das Potências europeias, cedeu ao Povo judeu a possibilidade de fundar o Estado de Israel onde uns milhares de Judeus, possuiam só terrenos comprados.

       Logo após isso,  vários países à volta da Palestina fizeram guerra a Israel,  que os venceu e confirmou assim as suas fronteiras.

 

4º    Aquilo a que chamamos hoje Palestina é parte da Pátria de Israel que Deus lhes concedeu desde Abrahão.  Génesis 12 : 7 e 13 : 15.  -  «Darei à tua descendência esta terra» !

       Ia do Eufrates ao Mediterrãneo.  Génesis 15 : 18.  Ver também Josué 1 : 3 e 4.

 

5º    Aquilo que Deus deu ao seu Povo, a Aliança, a Terra, tudo,  é irrevogável !   Romanos 11 : 29.

       Não é o governo de Israel que amamos, embora seja, em todo o caso um governo que assume as suas responsabilidades democráticas. 

( Israel é a única Democracia no próximo e no médio Oriente ! )   

       É o Povo de Israel,  o Povo de Deus desde Abraão,  Génesis 12, que amamos.

     

6º   Os atuais povos palestinianos, muçulmanos / islamitas,  têrm como alvo prioritário, dificilmente oculto,  a liquidação do Estado de Israel.

      Por isso Israel tem a Defesa da sua Pátria como uma constante nacional.    As negociações de Israel com os Palestinianos são por isso muito problemáticas  enquanto não derem a Israel a garantia de uma Paz total com os Palestinianos e outros Povos,  como o Irão.

 

 

 

 

ISRAEL 78.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


tags:

publicado por João Pinheiro às 07:29
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 17 de Junho de 2017
As Maiúsculas

  

Letras.png

 

      Na Língua portuguesa,  assim como noutras de raiz latina e indo-europeia,  usam-se as letras maiúsculas,  na escrita, segundo regras e critérios estabelecidos pelos Linguistas responsáveis pela Norma da Língua nacional.   

     Tal como acontece com  a pontuação,  com a disposição gráfica de um texto,  com a arrumação das frases.

     Não pode ser ao acaso, nem mesmo ao gosto de cada um.

     A Língua é uma componente da minha Pátria,  da Cultura que me identifica,  daquilo que sou,  como Deus me criou.

    "A minha Pátria é a Língua Portuguesa."  escreveu Fernando Pessoas, no Livro do Desassossego.

 

    Pois bem,  as Maiúsculas têm um papel semântico incontornável.   Com elas distinguimos Ideias e Factos únicos,  distintos dos seus homónimos comuns,  correntes.

    Os Dicionários não são vocacionados para fazer essas diferenciações de sentido.    O certo é que há casos em que não dintinguindo termos escritos com maiúscula inicial estamos cometendo um erro grave, porque estamos deformando o conceito que queremos expressar ao escrevê-lo.   Sobretudo no domínio  de assuntos religiosos.   E não só ...

 

    Por exemplo ( ainda no domínio religioso ) :

    - A Fé em Deus,  não é de forma nenhuma a fé que é uma esperança ou um cáculo em algo de futuro; como por exemplo em : "Tenho fé que o meu filho será aprovado no exame ..."

    - A Salvação de Deus,  não é o mesmo que a salvação, o socorro, prestado a alguém em perigo.

    -  A Glória de Deus,  não é o mesmo que a glória do Benfica tetracampeão.

    -  O mesmo com Honra de Deus ( e a honra humana );  com Paz de Deus,  com Amor, e com Graça de Deus,  com Céu divino ( e céu atmosférico );  etc.etc.

    -  E também com Humanidade,  como conjunto dos Seres humanos;  e humanidade que é o sentimento, a atitude com que se lida com outras pessoas.

    -  A Assembleia da República,  não é o mesmo que uma assembleia de condóminos, por exemplo, ou de cidadãos numa praça pública.

 

    Aliás, sempre que queremos ou que devemos distinguir, isolar, um sentimento,  um facto,  uma ideia, algo merecedor e uma sentido especial, de um sentido único, singular, temos obrigação de o escrever com maiúscula inicial.

    Os nomes de organismos e de pessoas escrevem-se com maiúscula inicial porque se referem a indivíduoas únicos, a instituições únicas;  não a coisas comuns,  como é evidente.

 

    O Texto bíblico não faz essas distinções.

    Deveria fazê-lo ?   É um assunto que devia ser debatido,  com a participação de Línguistas e de Teólogos.

 

 

M

 

 

 

 

 

 


tags:

publicado por João Pinheiro às 07:43
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 16 de Junho de 2017
Amém

 

 

 

Bíblia, rolo.jpg

 


 
 
      A verdadeira importância do Amém
 
 
    Esta palavra poderosa tem origem na raiz Hebraica אמן (a-m-n) que também é relacionada com a palavra אֱמוּנָה (emuná) que significa "".


   Não é apenas um consentimento ...        Quando uma pessoa diz  "Amém",     compromete-se conscientemente com um estado  de conformidade,  e de Fé.


   Na Bíblia ter Fé não é simplesmente uma questão de despertamento espiritual;      é um compromisso firme com a sua identidade perante Deus.


    Para os Cristãos, da sua identidade em Cristo.
 
 

 


 
« ... Porque todas quantas Promessas
há de Deus,
são nele ( em Cristo ) Sim,
e por ele  Amém,
para a Glória de Deus por nós.»
 


2ª Carta de Paulo aos Coríntios 1 : 19 a 22.
 
 

 

 

 

 


tags:

publicado por João Pinheiro às 08:19
link do post | comentar | favorito
|

NEW COUNTER
Hit Counter by Digits
mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

As "Crises" milenares" .....

Pedrógão, o drama !

Israel, o Sionismo, e o...

As Maiúsculas

Amém

Pensar ...

Palestinos e a Cidadania ...

Futebol, religião do séc...

Louvor (o) e os Cânticos ...

«...sem...»

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds